O que é o sono?

Sono é o nome dado ao repouso que fazemos em períodos de cerca de 8 horas em intervalos de cerca de 24 horas. Durante esse período nosso organismo realiza funções importantíssimas com consequências diretas à saúde como o fortalecimento do sistema imunológico, secreção e liberação de hormonios (hormonio do crescimento, insulina e outros), consolidação da memória, isso sem falar no relaxamento e descanso da musculatura. É um componente básico e essencial na homeostase (equilíbrio das funções orgânicas). Fundamental para a saúde física, mental e emocional.

Devido aos hábitos da vida moderna, como por exemplo, a constante exposição à luz artificial e as atividades interativas como a internet; o período de sono tem diminuído. Para se ter uma idéia, em 1960 o período de sono de um adulto era de 8 a 9 horas por noite; em 2000 esse tempo foi reduzido para 7 horas de sono.

Qual é a real importância do sono?

Passamos cerca de um terço de nossa vida dormindo. Dormir bem é essencial não apenas para ficar acordado no dia seguinte, mas, para se manter saudável, melhorar a qualidade de vida e até aumentar a longevidade. Nosso desempenho físico e mental está diretamente ligado a uma boa noite de sono. O efeito de uma noite sem dormir é semelhante ao de uma embriaguez leve: a coordenação motora é prejudicada e a capacidade de raciocínio fica comprometida, ou seja, sem o merecido descanso o organismo deixa de cumprir uma série de tarefas importantíssimas. O que nos aconteceria se não dormíssemos?

Num estudo realizado pela Universidade de Chicago – EUA, onze pessoas com idades compreendidas entre os 18 e os 27 anos foram impedidas de dormir mais de quatro horas durante seis dias. O efeito foi assustador. No final do período, o funcionamento do organismo delas era comparado ao de uma pessoa de 60 anos de idade. E os níveis de insulina eram semelhantes aos dos portadores de diabetes. Em pesquisas de laboratório, ratos usados como cobaias não aguentaram mais de dez dias sem dormir. A consequência: morte por infecção generalizada.

As fases do sono

Fase 1 : A melatonina é liberada, induzindo o sono (sonolência).

Fase 2 : Diminuem os ritmos cardíacos e respiratórios, (sono leve) relaxam-se os músculos e cai a temperatura corporal.

Fases 3 e 4 : Pico de liberação do GH e da leptina; cortisol começa (sono profundo) a ser liberado até atingir seu pico, no início da manhã.

Atualmente as fases 3 e 4 foram consideradas como única e é chamada de fase N3.

Estas fases anteriormente descritas fazem parte do chamado Sono NREM ( sono não REM) ou seja, sono sem movimento rápido dos olhos.

Sono REM: Sigla em inglês para movimento rápido dos olhos, é o pico da atividade cerebral, quando ocorrem os sonhos. O relaxamento muscular atinge o máximo, e as frequências cardíacas e respiratórias voltam a aumentar.

O ciclo do sono

Um ciclo do sono dura cerca de noventa minutos, ocorrendo quatro a cinco ciclos num período de sono noturno. Segundo LAVIE (1998, 45), o número de ciclos por noite depende do tempo do sono, acrescentando, ainda, que “o sono de uma pessoa jovem é,habitualmente, composto por quatro ou cinco desses ciclos, com tendência à redução com o avançar da idade”. No entanto, o padrão comum varia entre quatro a cinco ciclos.

Durante o sono, o indivíduo passa, geralmente por ciclos repetitivos, começando pelo estágio 1 do sono NREM, progredindo até o estágio 4, regride para o estágio 2, e entra em sono REM. Volta de novo ao estágio 2 e assim se repete novamente todo o ciclo.

Nos primeiros ciclos do sono, os períodos de NREM (mais concretamente o estágio 3 e 4) têm uma duração maior que o REM. À medida que o sono vai progredindo, os estágios 3 e 4 começam a encurtar e o período REM começa a aumentar. Na primeira parte do sono predomina o REM, sendo os períodos REM mais duradouros na segunda metade.

É verdade que crescemos enquanto dormimos?

Sim, é verdade. Na infância, cerca de 90% dos hormonios do crescimento são liberados durante o sono. Crianças que dormem mal têm mais chance de ter problemas no seu desenvolvimento físico. Os hormonios do crescimento continuam a ser liberados mesmo na fase adulta. Embora em doses menores, isso continua a ocorrer durante o sono. Em pessoas adultas estes evitam a flacidez muscular e garante vigor físico.

Quais são as principais interferências ao sono?

As interferências ao sono poderiam ser classificadas em externas e internas (orgânicas). Como exemplos de interferências externas poderíamos citar os trabalhos noturnos ou turnos rotativos, os eventuais problemas com fusos horários (em casos de viagens), as pessoas chamadas de corujas (que possuem mais energia ao entardecer) e as chamadas de cotovias (vão deitar muito cedo e dormem cada vez menos com o passar do tempo).

Para exemplificar interferências orgânicas podemos citar o ronco, a apneia (frequentemente associada ao ronco), a insonia, a narcolepsia (sonolência diurna excessiva), o bruxismo (ranger de dentes) a síndrome das pernas inquietas e outras. O ronco e o bruxismo, geralmente, incomodam mais quem dorme nas proximidades do que quem apresenta o quadro clínico.

O que é apneia do sono?

A apneia do sono é o fechamento da passagem de ar ao nível da garganta causado pelo relaxamento dos tecidos da região e pela posição da língua (por isso frequentemente está associada ao ronco) com consequente parada da respiração. Esse bloqueio pode demorar vários segundos e até mesmo causar a morte súbita. Quem possui essa disfunção apresenta noites com os chamados microdespertares (dorme/acorda) que podem chegar a centenas de vezes durante a noite sem que o indivíduo se dê conta disso.

O ronco e a apneia podem ser evitados ou diminuídos, com algumas providências que podem ser tomadas como desde um posicionamento correto na cama (dormir de lado), à eliminação do hábito de tomar bebidas alcoólicas antes de dormir. Evitar fumar antes de ir para a cama. A perda de peso pode eliminar depósitos de gordura na região do pescoço que são prejudiciais à passagem de ar, mas, alguns casos persistem e necessitam de tratamento.

O que pode ser feito nesses casos?

Atualmente, está disponível a opção pelo uso de um AIO (aparelho intra-oral) que é um aparelho odontológico usado apenas para dormir, pequeno e simples que pode ser levado para qualquer lugar e apresenta excelente índice de sucesso (cerca de 90%).

Estes aparelhos são os que apresentam melhor resultado na diminuição da Pressão Arterial. Apresenta também excelentes resultados com relação a melhora dos Índices de Qualidade de Vida, melhora no nível de atenção, nos distúrbios do humor, no cansaço e concentração, velocidade psicomotora, diminuição da sonolência diurna e dos níveis de fadiga.

Algumas dicas para melhorar a qualidade de sono….

# Antes de tudo, durma em um local confortável, fresco, escuro e silencioso. As alterações de ruído, de luz e de temperatura podem atrapalhar o sono;

# Prepare-se para dormir. Crie seus próprios rituais como a meditação, o relaxamento, a oração ou outra técnica de controle da tensão;

# Evite olhar para relógio cada vez que acordar: este hábito pode piorar uma eventual noite de insonia;

# A prática regular de exercícios , melhora as condições do organismo. Mas procure fazer ginástica até duas horas antes de se deitar; evitando atividade física intensa, preferindo as de menor intensidade e as mais relaxantes;

# Não durma com fome. Uma boa dica é beber um copo de leite morno antes de ir para a cama: o leite é rico em triptofano, que é um precursor da serotonina – substância envolvida no processo de sono;

# Faça apenas refeições leves à noite. Durante o sono, a capacidade digestiva de nosso organismo diminui e uma digestão difícil atrapalha terrivelmente o sono;

# Use a cama apenas para dormir, e não para ver televisão, ler ou jogar, pois esses hábitos são desfavoráveis ao sono;

# A melhor posição para dormir é de lado, com as pernas ligeiramente flexionadas e uma almofada não muito alta apoiando o rosto. Não se esqueça de colocar uma almofada entre as pernas na altura dos joelhos. A densidade correta do colchão é fundamental!

# Se estiver numa noite de insonia, não fique na cama forçando o sono. Levante-se, procure alguma atividade e só retorne quando sentir sono;

# Cuidado com líquidos antes e, até mesmo, durante a noite, pois a necessidade de urinar irá interromper a sequência do seu sono.

Written by st44odontologia